fbpx

Terapia Familiar Sistêmica

Visão sistêmica é lastreada na cibernética e enriquecida pela nova física, nova linguística e nova antropologia. As características da visão sistêmica, quando utilizada para o atendimento terapêutico, permite ao profissional enxergar a família, o casal ou o cliente individual em seu contexto relacional, ou seja, sua família, seja ela a de origem ou a nuclear.

Tais caterísticas são:

- um grupo relacional é um sistema aberto e por esta razão troca informações com o ambiente;
- cada membro de um grupo, para ser entendido, precisa ser visto em relação ao outro;
- a família é uma complexidade organizada e por esta razão tem uma estrutura de funcionamento própria;
- cada membro de um grupo influencia e é influenciado;<
- as relações são circulares, ou seja, não importa quem começou um conflito – este é a expressão da relação;
- a família é um sistema capaz de se diferenciar, crescer, adaptar-se e a família busca seu ponto equilíbrio, seja este saudável ou não.

Tal visão permite que o sistema familiar seja observado a partir das características de sistema que é, e permite também, compreender quais tipos de trocas são feitas entre os subsistemas (conjugal, parental e fraternal). Com olhar e escuta sistêmica, o terapeuta identifica as regras de comunicação da família ou casal para entender a dinâmica das relações.

A comunicação da família pode ser rígida, difusa ou nítida. Quando a comunicação entre os subsistemas é rígida os membros da família não conseguem se abrir uns com os outros, o que impossibilita que haja cumplicidade, lealdade e sentimento de pertença. Os membros podem se tornar adultos independentes, ainda que o preço que pagam para tanto seja a solidão. Quando o funcionamento familiar é difuso, a comunicação entre os subsistemas é invasiva, os pais se relacionam com os filhos como iguais, não há como respeitar regras ou individualidade; os membros perdem suas formas individuais e em geral tornam-se adultos dependentes. A comunicação relacional nítida pressupõe regras claras, que asseguram respeito à hierarquia; a comunicação permite confrontação e é possível lidar com as diferenças.

A abordagem sistêmica também contempla a necessidade do cliente que escolhe fazer a terapia individual. Muitos clientes buscam ajuda para lidar com questões relacionais na área casal tais como, resgatar a relação, fortalecer-se para propor uma separação ou lidar com a separação já efetivada; ou ainda para lidar com conflitos nas áreas familiar, social ou profissional. Durante o processo o cliente vai internalizando a visão sistêmica seja este um cliente individual, uma família ou um casal e passa a enxergar a vida e suas relações a partir dela.