fbpx

Atendimento
em consultório

Grupo de Terapia em Abordagem Relacional

Durante muitos anos, determinados conteúdos trazidos pelos clientes na clínica chamavam minha atenção. Observei que havia uma necessidade constante de encontrar saídas para conflitos voltados para as suas relações. Ao apurar o olhar, percebi que tais questões se agrupavam em temas que diziam respeitos às áreas casal, familiar profissional e social.

Por esta razão, decidi concentrar meus estudos com o objetivo de prover condições para que tais clientes pudessem preencher suas necessidades de entender e resolver as questões emergentes de suas relações significativas. Assim, tenho, nos últimos anos, trabalhado com grupos oferecendo cursos, vivências especiais e atendimento individual voltados para relacionamentos.

Passei a chamar essa forma de atender de abordagem relacional uma vez que cuida do efeito do padrão relacional ou comunicacional utilizado pelos membros de toda relação. Qualquer relação considerada importante para os seus membros, sejam estas hetero ou homossexuais, entre pessoas jovens ou maduras, pais e filhos, colegas de trabalho, amigos etc. demanda cuidado. Cada relação vivencia um ciclo vital e a cada etapa atravessa momentos difíceis que exigem atenção especial.

A abordagem relacional permite que cada uma das abordagens que utilizo seja acessada, sem excluir as demais: Análise Transacional, Terapia Sistêmica, Terapia Corporal em Análise Bioenergética, Constelações Familiares, Terapia Eriksoniana e S.E. (Somatic Experience).

A Visão Sistêmica lastreia a abordagem evidenciando os aspectos relacionais; a Constelação Familiar dá conta dos aspectos que se repetem a cada geração; os conteúdos de PNL contribuem para a construção mais objetiva de uma comunicação saudável; a Análise Transacional permite que o cliente entenda de forma mais imediata determinados conflitos e comportamentos recorrentes na relação e a bioenergética contribui para que cada membro possa ver melhor a sua contribuição num nível mais pessoal – subjetivo e corporal.

A abordagem relacional atende interesses de adultos enamorados ou desiludidos, (bem) solteiros ou (bem) casados, que vivam bem ou mal, separados ou em vias de se separar, trabalhados ou que nunca se trabalharam, que pretendem (ou não) estar em um novo relacionamento ou sentem necessidade de entender o que aconteceu na sua relação passada ou na atual. Da mesma forma, atende interesses daqueles que se sentem presos através dos jogos nas suas relações familiares ou que se dão conta que se isolam e não estimulam relacionamentos nas áreas: profissional e social.

O Grupo de Terapia em Abordagem Relacional acontece um vez por semana, tem a duração de uma hora e meia, com o mínimo de 5 e máximo de 8 pessoas, com o objetivo que possam elaborar questões pessoais e se oportunizar autoconhecimento e autodesenvolvimento em todas suas áreas relacionais. A cada sessão um ou mais membros podem ser trabalhados e, em algumas ocasiões, todos ao mesmo tempo, em qualquer das abordagens de competência da terapeuta, a depender do tema, seja de modo teórico ou vivencial.

O trabalho terapêutico em grupo tem força intensa, uma vez que os depoimentos e os trabalhos vivenciados pelos membros são enriquecedores para todos. É também forte o fato de que quando a pessoa tem testemunhas acaba por se comprometer além de também ter suas falas e mudanças validadas.