fbpx

Atendimento
em consultório

Terapia de Família e Casal

Ao contactar com a necessidade de perpetuar a sua espécie, o Homem se organizou em família e vem, desde então, transformando-a e adequando-a através dos tempos. Na busca de saídas para suas aflições no último século, o Homem encontrou na visão sistêmica um olhar científico para entender a dinâmica do sistema familiar.

Desde então, o Homem tem sido capaz de compreender que cada membro da relação familiar contribui para as questões da família; o que antes era “problema” passa a ser entendido como forma de comunicação e expressão do sistema familiar – um sintoma. Quem antes era percebido como “paciente identificado” é compreendido agora como porta-voz da dor da família.

Mais humanizado e sensível às questões relacionais, o Homem de hoje busca na Terapia Familiar recursos para cuidar do “corpo” da sua família quando há sinais de ameaça à sua estrutura. Juntos, e com o apoio de um mediador – o terapeuta de família, todos podem mais facilmente cuidar da saúde desse corpo.

A terapia de família e de casal, baseada na abordagem sistêmica, é breve - dura cerca de 5 a 6 meses ou de 12 a 15 sessões que podem ser semanais ou quinzenais e, quando chegar o tempo, mensais; as sessões têm a duração de 50 ou 80 minutos a depender do momento em que o processo terapêutico esteja. O meu trabalho inclui a utilização de técnicas corporais baseadas na Análise Bioenergética, com a concordância dos clientes, a cada vez; também são prescritas tarefas para casa e devoluções (verbais ou escritas) ao final da sessão, que só poderão ser discutidas na sessão seguinte. Mesmo não fazendo a tarefa o casal deve vir à sessão seguinte.

Uma vez que o funcionamento do casal e da família também está ligado ao contexto em que vive é recomendável que informe à terapeuta sobre situações novas ou diferentes que ocorram em suas vidas. Mesmo se for terapia de casal é possível que em algum momento os filhos sejam convidados a vir para uma sessão. No caso da terapia de família, pode ser necessária a criação de uma rede de apoio para a família; por exemplo, visita à escola de algum filho ou encaminhamento de membro(s) menor(es) de idade que possam demandar uma intervenção paralela. Alguns profissionais sistêmicos, no entanto são mais radicais e solicitam inclusive, que qualquer trabalho individual seja interrompido durante o processo terapêutico da família.

Terapia de Família

É comum que a família chegue ao consultório por indicação da escola ou de um outro profissional que esteja cuidado de um dos filhos. Atualmente, à medida que a terapia de família vem se tornando mais popular, tenho recebido famílias que chegam por iniciativa própria, após ter assistido uma palestra na escola dos filhos ou alguma entrevista na televisão.

As razões que levam uma família ao consultório em geral estão relacionadas aos filhos: dificuldades na escola, brigas entre irmãos, uso de drogas ou qualquer questão que faça com que os pais estejam perdendo seu controle sobre os filhos.

Terapia de Casal

Várias são as razões que levam um casal ao consultório, entre as quais infidelidade conjugal, impotência sexual, ejaculação precoce ou qualquer razão que interfira no funcionamento saudável do casal. Algumas vezes o casal chega ao consultório por indicação do terapeuta individual de um dos dois, por iniciativa de um dos membros, por sugestão da escola ou mesmo através do psiquiatra de um dos filhos. Pode também acontecer que um atendimento de família seja transformado em atendimento de casal.

É comum o casal descobrir durante o processo que é a dificuldade na comunicação entre eles que contribui para a manutenção de ressentimentos colecionados ao longo da relação. Por esta razão o terapeuta muitas vezes funciona como um tradutor da relação ou como mediador para que alguma mudança na forma de comunicação do casal possa ser implementada.